Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Governação da Água

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Gestão de Conhecimentos  

A criação de sistemas de informação eficazes para bacias hidrográficas requer apoio institucional e técnico. A vontade política dos tomadores de decisões é crítica para garantir que os sistemas de gestão de bacias sejam devidamente mantidos e financiados, e para apoiar o processo de tomada de decisão.

As seguintes considerações chave para para uma gestão eficaz de conhecimentos foram identificadas pela Parceria Global da Água (Global Water Partnership - GWP 2009a):

  • Recolher e organizar um conjunto abrangente de dados e informações físicos, biológicos, sociais e económicos sobre a bacia;
  • Garantir que os dados e informações se relacionem com a estratégia de gestão da bacia e o plano de acção;
  • Garantir que o sistema de informação de uma bacia seja interactivo, acessível, económico, apropriado e equitativo e que os diferentes actores (stakeholders) possam aceder e usar os dados e informações de uma forma que satisfaça as necessidades deles;
  • Usar sistemas de informação geográfica (SIG) e outros meios adequados ao utilizador para apresentar o estado dos recursos da bacia e para monitorizar mudanças; e
  • Estabelecer um programa de monitorização na bacia que coordene as informações dos diferentes níveis de administração (nível regional, nacional, provincial, federal e local) e das organizações públicas, privadas e não governamentais.
Sistemas sólidos de informação são essenciais para a conservação de um ambiente saudável.
Fonte: © Ostby 2007 www.pgoimages.com
( clique para ampliar )

Sistemas de Informação – Angola

Os equipamentos modernos de recolha de dados significam que há uma maior probabilidade dos sistemas de informação sobre os recursos hídricos serem apresentados em formato digital. É o que acontece especialmente em Angola onde muitos dos sistemas estão a ser implantados a partir da raiz. Os sistemas de informação digital deverão permitir um acesso mais eficiente e equitativo às informações sobre os recursos hídricos, mas dependem nitidamente de um nível adequado de tecnologias de informação e de infra-estruturas de comunicações.

Tal como se referiu acima, a guerra em Angola de 1975 a 2002 impediu a recolha de dados, destruiu estações hidrométricas, furos de exploração e, inevitavelmente, destruiu os arquivos hidrométricos em papel que existiam antes de 1975. Existem projectos para a reconstrução de estações hidrométricas e a transcrição dos arquivos em papel para registos hidrométricos modernos (Petterson 2004; World Bank 2008). Estes arquivos contêm dados sobre o nível da água e sobre os caudais para 189 estações hidrométricas em todo o país.

No que se refere aos dados sobre furos de exploração, um artigo do Laboratório Nacional de Engenharia Civil de 1996 (LNEC 1996) contém dados comprovativos da existência de várias centenas de furos experimentais na bacia do rio Kunene, essencialmente em Angola. O artigo do LNEC menciona também planos acordados entre os Governos de Angola e de Portugal nessa época para desenvolver uma base de dados global sobre os furos experimentais e já em produção. Esta base de dados foi intencionada a basear-se num sistema português já criado. O plano consistia no registo de mais de 80 parâmetros dos furos, incluindo dados sobre a sua localização, utilização, profundidade, produtividade, qualidade química e propriedade fundiária, assim como dados sobre os seus diâmetros e níveis de água. Não se sabe bem se esta base de dados foi criada.

Em Angola, é necessário desenvolver sistemas de informação para acesso aos dados sobre os recursos hídricos em paralelo com a reabilitação de sistemas de monitorização de recursos, tais como as estações hidrométricas. A falta actual de sistemas abrangentes e acessíveis de informações sobre as bacias hidrográficas e os recursos hídricos irá limitar a capacidade de planear uma gestão sustentável das bacias hidrográficas.

Sistemas de Informação – Namíbia

Dados em Papel

Existem cerca de 40 000 registos em papel de formulários de conclusão sobre furos de exploração (com numeração WW que especifica a localização dos furos). Estes registos contêm informações sobre os nomes e números das propriedades agrícolas (constituindo, deste modo, a forma mais coerente de informação fundiária na Namíbia), e sobre a profundidade, produtividade, litologia, material de revestimento, e localização por GPS dos furos. O Departamento de Recursos Hídricos e Florestas (DWAF) é o depositário destes conjuntos de dados.

Existem cerca de 90 000 análises químicas sobre os principais iões na água bem como alguns dados bacteriológicos. Além disso, o Conselho de Investigação Científica e Industrial (CSIR, África do Sul) analisou cerca de 30 000 amostras de água subterrânea no decurso do Projecto da Qualidade da Água do CSIR entre 1965 e 1981.

A NamWater elabora relatórios mensais sobre os índices de utilização dos furos de exploração.

Dados Electrónicos

Há um conjunto de dados relativamente completo sobre os parâmetros mais importantes relativos aos furos de exploração realizados até 1990. A mudança das plataformas de bases de dados, aliada ao desenvolvimento destas bases de dados e a uma falta de recursos e de capacidade, provocou uma acumulação considerável de trabalho na sistematização destes conjuntos de dados. No final de 2004 ficou operacional uma nova base de dados (GROWAS). A maior parte dos dados sobre a pluviosidade e as informações sobre a captação da água de superfície (barragens) estão disponíveis em formato electrónico.

O Ministério da Agricultura, Água e Florestas (MAWF) e a NamWater também utilizam a base de dados hidrológicos Hydsys, que usa o “software” Hydstra.

Estabelecimento de Sistemas de Informação sobre Bacia Hidrográficas

Os passos importantes para o estabelecimento de um sistema de informação sobre uma bacia são:

  1. Desenvolver um regime adequado para a colaboração a múltiplos níveis e com múltiplos actores;
  2. Estabelecer uma estratégia e um plano de acção para o desenvolvimento de um sistema de informação; e
  3. Promulgar regras para a partilha de dados.

A condução de um inventário dos recursos naturais é uma função importante das Organizações das Bacias Hidrográficas. A compreensão do estado de uma bacia, a sua extensão espacial e as mudanças ao longo do tempo é necessária para se tomarem decisões informadas sobre a gestão da bacia hidrográfica e para se compreender os efeitos futuros destas decisões (IWR 2006). Estes conhecimentos podem ser aplicados num “ciclo de feedback” para rever actividades futuras com base em lições aprendidas conforme descrito na secção sobre os Passos da Gestão Integrada dos Recursos Hídricos.

As Organizações das Bacias Hidrográficas podem apoiar a criação de instrumentos legislativos e a revisão da legislação internacional, nacional e local relevante para a gestão da água e ambiental. Uma ferramenta importante para os gestores de bacias hidrográficas, identificada pelo Instituto dos Recursos Hídricos (Institute for Water Resources – IWR 2006), é uma base de dados que apoia a catalogação de instrumentos legais e políticas de diferentes países.

O desenvolvimento e manutenção de infra-estrutura que apoio a tomada de decisões são uma tarefa fundamental para as Organizações das Bacias Hidrográficas (IWR 2006). Essa infra-estrutura inclui a gestão de informação, sistemas de apoio a decisões e modelos para compreender os impactos de diferentes cenários na gestão de bacias hidrográficas. O IWR (2006) enfatiza a importância dos sistemas de apoio às decisões:

Estas ferramentas, quando devidamente utilizadas, podem melhorar o nível de conhecimentos da RBO, ser usadas como um mecanismo para envolver diferentes actores e fornecer um mecanismo para hierarquizar as metas de gestão dos recursos naturais.

WaterNet

O WaterNet Website contém informações sobre projectos recentes de investigação realizados por instituições que trabalham em rede. Tem também uma série de documentos sobre recursos hídricos e gestão de bacias hidrográficas, com contributos úteis de pessoas da região.

Cap-Net

Além da sua função de trabalho em redes na área da capacitação, a Cap-Net é também uma fonte útil de ferramentas e informações sobre a Gere bases de dados actualizadas sobre cursos de formação, ferramentas de gestão de redes, referências de literatura sobre GIRH, materiais de formação e ferramentas de gestão de recursos hídricos.

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Explore os princípios da Gestão Integrada dos Recursos Hídricos